Legado das Olimp√≠adas  

Na hist√≥ria da mitologia, H√©rcules, o filho de Zeus, ao organizar os primeiros jogos em Ol√≠mpia, ergueu um est√°dio em oferenda ao seu pai. Ap√≥s mais de 1.500 anos adormecidos, em 1894, os jogos renasceram gra√ßas √† iniciativa do franc√™s Pierre de Fredy, que prop√īs a cria√ß√£o de uma competi√ß√£o internacional entre atletas, de diversas modalidades, marcando o in√≠cio dos Jogos Ol√≠mpicos da Idade Moderna. 


Desde ent√£o, a cada quatro anos, os pa√≠ses-sede das Olimp√≠adas se inspiram na simbologia da Gr√©cia Antiga e constroem verdadeiras cidades, com edifica√ß√Ķes monumentais, presenteando os anfitri√Ķes com um valioso legado arquitet√īnico. Alguns s√£o lembrados por sua grandiosidade e ousadia, como o Est√°dio Nacional de Pequim, constru√≠do para os jogos de 2008, cujo projeto dos arquitetos Herzog e Meuron faz alus√£o a um gigantesco ninho de p√°ssaro. Outro grande legado foi o Centro Aqu√°tico de Londres, projetado pela memor√°vel arquiteta Zaha Hadid, inspirado no movimento da √°gua e com teto oval que lembra o formato de uma onda. 


No Brasil, n√£o poderia ser diferente... O Rio de Janeiro, cidade-sede das Olimp√≠adas 2016, recebeu 47 novos projetos, que j√° alcan√ßaram a cifra de 39,1 bilh√Ķes, com obras de investimento n√£o s√≥ aos jogos, mas tamb√©m de mobilidade, renova√ß√£o urbana e limpeza do meio ambiente, al√©m de acelerar o desenvolvimento do munic√≠pio. Diferente dos jogos de Pequim, marcados por projetos de alto custo,  as obras da Rio 2016 objetivam efici√™ncia e excel√™ncia para a pr√°tica esportiva, sem grandes requintes. Nesse modelo, inspirado na arquitetura n√īmade dos jogos ol√≠mpicos de Londres 2012, os edif√≠cios podem ser montados e desmontados para serem reaproveitados ap√≥s as realiza√ß√Ķes esportivas. √Č o caso da Arena do Futuro, que se transformar√° em escola, do Est√°dio Aqu√°tico, que dar√° origem a dois centros de treinamento e do Campo de Golfe, que ap√≥s o evento se tornar√° campo p√ļblico por 20 anos. 


Outro projeto realizado √© a duplica√ß√£o do Elevado do Jo√°, que liga a Zona Sul a Barra da Tijuca, e ganhar√° nova pista, dois t√ļneis e uma ponte, al√©m de uma ciclovia √† beira-mar de 3.100 metros. A amplia√ß√£o objetiva aumentar em 35% o tr√°fego da regi√£o.  

O Parque Ol√≠mpico conta ainda com nove outras instala√ß√Ķes: as Arenas Cariocas poliesportivas 1, 2 e 3, o Parque Aqu√°tico Maria Lenk, a Arena Rio, o Vel√≥dromo, o Centro de T√™nis, o Est√°dio Aqu√°tico e a Arena do Futuro, totalizando 16 modalidades ol√≠mpicas e nove paraol√≠mpicas. Outro legado importante √©  o Complexo de Deodoro, que foi ampliado em 40%, passando a receber um p√ļblico maior e agregar competi√ß√Ķes de hipismo, canoagem e ciclismo. Isso sem falar nos investimentos em mobilidade e renova√ß√£o urbana, como a instala√ß√£o  da Linha 4 do Metr√ī Rio, que far√° Barra-Centro e Ipanema, e do VLT, que ligar√° o centro comercial ao porto. A regi√£o portu√°ria, inclusive, passou por um processo de total revitaliza√ß√£o com o programa Porto Maravilha, onde foi constru√≠do o Museu do Amanh√£, √≠cone das possibilidades de constru√ß√£o do futuro. A estrutura, desenvolvida pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, √© vizinha ao Museu de Arte do Rio (MAR) e traz ci√™ncia e express√Ķes de arte, tendo a tecnologia como principal suporte. Outra obra marcante √© a Solar City Tower, projeto do est√ļdio su√≠√ßo RAFAA criado para gerar eletricidade, em resposta simb√≥lica ao temor das quedas de energia no Brasil, durante as Olimp√≠adas. A constru√ß√£o que, ao primeiro olhar, parece apenas uma queda d‚Äô√°gua, tamb√©m reserva espa√ßos de conviv√™ncia, com audit√≥rio, cafeteria e at√© um shopping. Com todas essas obras magn√≠ficas, a cidade do Rio de Janeiro fica cada vez mais maravilhosa e, a partir de ent√£o, n√£o ser√° f√°cil escolher, entre tantos √≠cones, seu novo cart√£o postal. 


O Vel√≥dromo, imagem acima, sede das provas de ciclismo de pista, √© um projeto do cons√≥rcio Rio Equipamentos Ol√≠mpicos, do qual fazem parte os escrit√≥rios ARQHOS-Consultoria e Projetos e BLAC ‚Äď Backheuser Arquitetura e Cidade. 


Mais um projeto ambicioso pensado para as Olimp√≠adas √© a Solar City Tower, planejada para ter uma sacada, na parte superior, a 105 m acima do n√≠vel do mar, onde o visitante pode ter uma vis√£o de 360¬į da paisagem. Os espa√ßos de conviv√™ncia ainda oferecem vista para a enorme queda d‚Äô√°gua, que al√©m de bela, tamb√©m funcionaria como gerador de energia.




Voltar

Edi√ß√Ķes Anteriores

Revista Ambientes | Arquitetura | Decoração | Estilo | Design
A badalada Mil√£o abre mais uma vez as portas para receber o ...
[ Leia Mais ]   
Os apaixonados por conhecer novas culturas, sem gastar mui...
[ Leia Mais ]   
Em breve, a cidade maravilhosa também será cidade Olímpica...
[ Leia Mais ]   
Um tour por algumas das melhores escolas de design do mundo....
[ Leia Mais ]   
Referências multiculturais e policromáticas refletem a alm...
[ Leia Mais ]   
Em nossa edição comemorativa, presenteamos você com um rot...
[ Leia Mais ]   
Desde 1851 as exposi√ß√Ķes universais t√™m o objetivo de comp...
[ Leia Mais ]   
A Fundação Louis Vuitton é a mais nova obra de arte de Fra...
[ Leia Mais ]   
Os containers marítimos surgem como proposta inovadora para ...
[ Leia Mais ]   
Sergio Rodrigues foi o precursor do design de móveis no Br...
[ Leia Mais ]   
Em tempos de quest√Ķes voltadas para a sustentabilidade, os...
[ Leia Mais ]   
O luxo e o glamour do mais valioso dos metais ressurgem atra...
[ Leia Mais ]   
Um dos maiores prazeres em viajar é conhecer locais difere...
[ Leia Mais ]   
Sensual, quente e brasileiro s√£o alguns adjetivos que caract...
[ Leia Mais ]   
Viajar por entre os cantos da √Āsia em um trem luxuoso √© test...
[ Leia Mais ]   
 
Mova a barra de rolagem acima para os lados para visualizar mais edi√ß√Ķes





     Edições Anteriores